domingo, 29 de novembro de 2009

Arredores de Bangkok

Começámos o dia de sábado bem cedo. Às 6h30 estava à porta do Hotel Landmark com a Sheila e os nossos respectivos sacos, à espera que nos viessem buscar para fazermos uma visita a 3 locais nos arredores de Bangkok.
Começámos em Damnoen para ver e saborear o mercado flutuante onde provámos algumas deliciosas e estranhas variedades de fruta.
Esta é a dragon fruit. Também havia o durien e o rambootan mas a minha fruta preferida é o mangosteen, mangostão em português.
Continuámos de carrinha por mais de 1 hora e almoçámos no caminho. Depois dirigimo-nos para Kanchanaburi onde parámos na ponte sobre o rio Kwai, famosa pelo filme que retratou o que se passou aqui durante a II Guerra Mundial.




De seguida, visitámos o Templo dos Tigres onde podemos ver e tocar estes belos animais! Foi um contacto bem próximo com o meu signo chinês, por sinal também o da Sheila.





No regresso a Bangkok, já noite, encontrámos uma hostel perto da rua Khao San onde depois jantámos. É uma rua muito animada e também muito turística. Parece que está sempre em festa.

Vendedoras por todo o lado.


Peixe do rio grelhado.

Khao San road, Tailândia, ano 2552.

Os miúdos à entrada da nossa hostel.
Hoje visitámos o Palácio Vinanmek. Depois passámos à porta do zoo e mais adiante deparámo-nos com as celebrações da morte do último rei da Tailândia, a que assistimos um pouco.



Hoje à noite separo-me da Sheila, ela vai para oeste e eu para sul, num autocarro nocturno.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Bangkok

A viagem correu bem e fiz o transfer com tempo. O avião atrasou quase 1 hora em Amsterdam mas eu já estava sentada ao pé de um casal de Taiwan e de tal modo numa conversa animada com ela, a Teresa!, que quase nem dei conta de levantarmos voo. Despedimo-nos em Bangkok e eles continuaram para Taiwan, vinham da Espanha.

Cheguei cerca das 14h30, 7h30 em Portugal. Peguei no saco, levantei dinheiro e meti-me num táxi no aeroporto. O Eric estava à minha espera em casa, mas que casa! Four Wings Mansion, com guardas na entrada, para pessoal das embaixadas, ele trabalha na dos EUA. Bela vista dos arranha-céus de Bangkok.
Mostrou-me a zona envolvente, Sukhumvit 11. Uma área turística de bons hotéis mas também com lojas, mercados e restaurantes típicos. Mais tarde apanhámos o Sky Train e fomos para o Centralworld. CS Meeting em Bangkok; outros viajantes e também tailandesas.

No dia seguinte encontrei-me com a Sheila e visitámos, entre outros, o Buda em Pé, estátua com 45m de altura. Também conversámos bastante. Demos umas voltas de tuk-tuk e parámos numa agência de viagens onde marcámos uma excursão para sábado.

À noite, jantámos com o host dela, o Charlie, dos Camarões. Proporcionou-nos depois uma incursão na noite Thai, pela avenida SiLom e Patpong...

No dia seguinte, encontrámo-nos em Asok e seguimos no Sky train (metro aéreo) e depois táxi para o centro. Visitámos o Grand Palace e o Templo do Buda de Esmeralda. Arquitectura lindíssima, profusamente e ricamente decorada, impressionante!


Depois o Buda Deitado em Wat Pho.

Atravessámos o rio de barco e subimos ao templo Wat Arun. Dá para ter a perspectiva de como as pessoas vivem naquelas casas junto à água, pois o rio era o principal meio de transporte e ligação com o interior da região.





Apanhámos outro barco-táxi e depois o metro. Regressámos a Sukhumvit para ir jantar com Eric e amigos.

Estão mais de 30 graus em Bangkok. É inverno.


quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Talvez TAILÂNDIA

Para onde? Onde começar? Tem que ser Oriente. Tenho milhas para usar, bilhete de avião grátis. Podem levar-me para Tóquio, Seul, Manila, Kuala Lumpur. Mas a Tailândia, há quanto tempo a quero visitar! E à volta há vários países para conhecer. 'Tá decidido! O bilhete é só de ida...
Sa wat dii kha, Tailândia!