quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Despedidas

Os últimos dias no Nepal foram vividos de forma intensa.
Em Pokhara fui-me despedindo dos espaços, cheiros e sabores,
mesmo do outro lado do rio,
em almoços e jantares com amigos,
sem descurar a apetitosa comida de rua, 'pani puri' a minha favorita.
Ainda conheci a Lonnie, uma americana que me contactou através do CS, e com ela despedi-me dos amigos do restaurante Shiva e do Shiva himself.
Despedi-me dos jantares e das brincadeiras no meu hotel
bem como da criançada que por lá irrompe
cada uma ao seu estilo.
Despedi-me da Saru, da Mira e da sobrinha,
dos nossos passeios de scooter,
das idas à cidade faça sol ou faça chuva,
e da festa!
Das nossas aulas de dança nepalesa e das noites do 'Dohori', música tradicional.
Do lago
e dos passeios a qualquer hora do dia.
E com a Sunita despedi-me do templo no meio do lago.
Despedi-me dos amigos de Hallan Chowk,
do Devi e da internet,
das aulas de pintura e de nepalês,
da família do parapente, da Hellen e do Khim
e do restante pessoal do hotel em Pokhara.
Da casa, da família e das crianças em Chitwan.
E dos putos do orfanato.
Despedi-me dos engarrafamentos de trânsito nas estradas e do trânsito nas ruas de Kathmandu,
da 'skyline' da cidade e da Chitra que me acompanhou na viagem de avião.
Foram cinco meses a viajar e outros cinco só no Nepal, o tempo máximo de permanência permitido ao turista neste país. O passaporte está cheio. E outros 'deveres' se levantam...
Pheri bethaula, Nepal!
É o regresso a Portugal.