quinta-feira, 17 de março de 2011

Missão: Orfanato

Estou de regresso ao Nepal. Decididamente em missão.
Acaba de nascer o Lya Project!

Encontro o Orfanato em apuros. Procuro uma forma de ajudar e dou-lhe este nome. Ainda não conheço bem os seus contornos e não tenho qualquer experiência no fabrico de projetos deste género. Conto com apoios, ideias ou sugestões vossas. E com a vossa ajuda. Para já é isso que estou agora aqui a fazer. A pedir a vossa ajuda! Não o faria se não fosse por estas crianças que já vos dei a conhecer nos posts do orfanato. Podem sempre vê-las ou revê-las clicando nas etiquetas à direita.
Um novo ano escolar vai começar dentro de um mês. Não há dinheiro para manter as crianças na escola. É uma escola com boa reputação que assegura às crianças uma educação de qualidade, com o ensino da língua inglesa desde cedo. Uma forma de lhes abrir mais portas no futuro. Há encargos, inscrições a pagar desde já. Fui saber os custos da propina mensal que varia com o nível escolar frequentado pelas crianças. O total está em rupias nepalesas. Assim:
Mês / Ano
- Joseph Gurung; Rs 1600x12= 19200
- Alisha Gurung; Rs. 1300x12= 15600
- Jasmine Gurung; Rs. 1100x12= 13200
- Binkashi Gurung; Rs. 1000x12= 12000
- Jeevan Thapa; Rs. 1000x12= 12000
- Rabin Chhetri; Rs. 650x12= 7800
- Bishal Dobar; Rs. 650x12= 7800
- Raju Chhetri; Rs. 650x12= 7800
- Ruth Lama; Rs. 650x12= 7800
- Raju Gurung; Rs. 650x12= 7800
Para além disso a escola cobra outras despesas em separado e não estão aqui contemplados livros, material escolar, uniformes... Se conseguir algo, gostaria de entregar o dinheiro diretamente na escola. Ter a certeza que é para lá que vai.
É perante a situação que encontro que resolvi ultrapassar a minha relutância em fazê-lo, já que nunca o fiz na vida, e deixar aqui o meu apelo. À vossa ajuda, por mínima que seja! Sei bem que todos atravessamos momentos economicamente mais difíceis. Mas também sei que aqui se fazem ‘milagres’ na vida das pessoas com o que para nós não é assim tanto. E eu não tenho presentemente condições para ajudar sozinha.
A desejarem contribuir, indicarei os dados da conta em Portugal. As transferências são caras para o Nepal, não há IBAN, e se cada um for a fazê-lo individualmente o dinheiro vai-se todo só em taxas. Há que juntá-lo e pagar a taxa uma só vez, se possível. Se o fizerem por favor enviem-me um email a informar-me da quantia que depositam pois não tenho forma de saber online quem fez a transferência. Arranjarei uma forma de vos agradecer e dar conta da sequência do donativo.


Informem-me também se por ventura alguém quiser apadrinhar uma criança.

Bem hajam! Mesmo.
Outras voluntárias que lá conheci: a Kate, a Trina e a Alex.
"Hi, my name is Alex and I'm from England. I met Lya whilst spending just over 3 months volunteering at Everest Children's Home from August to December 2011. From the moment the children came running up the steps to the home after school on my first day shouting 'Auntie, Auntie, Auntie' and breathlessly introducing themselves I felt immediately at home and very welcome. Celebrating my birthday here was a very special experience. It was also nice to spend time with Jyoti and help her with the cooking and learn how to make Nepali dishes. She is a very good cook. I also helped her with the washing and the cleaning as there is a lot of work. The children love the attention you give them whether it's sitting on your lap reading stories or playing games with you. I also helped them with their homework and gave them extra help when needed. They are very loving and good fun to work with and I miss their smiles and enthusiasm. They are so loving and keen to learn. Their English is really good too but without financial help from you they will no longer be able to attend their school, 'Shining star boarding school' and their futures will no longer be bright."

8 comentários:

  1. Muito bem! Estás a fazer um trabalho fantástico! Nós por cá vamos tentar ajudar.

    ResponderEliminar
  2. Olá Lya, há uns tempos li o teu blog de uma ponta à outra numa noite, adorei as viagens! Vou ajudar estas crianças e já espalhei a mensagem... Beijinho e bom trabalho!
    Rita B.

    ResponderEliminar
  3. Cara Lya

    Sou colega do seu irmão Mário , na EPL.Já nos encontrámos uma vez em Leiria , num jantar de aniversário do Mário , mas provavelmente não se recorda de mim. Chamo-me Susana Nogueira e admiro muito o seu trabalho com estas crianças.Pode contar com o meu apoio e do meu marido. Irei combinar com outros colegas da escola que eventualmente queiram contribuir com ajuda monetária. Depois iremos transferir o dinheiro para o seu NIB, tal como indicou. Posteriormente informá-la-ei dessa data.
    Um abraço e bom trabalho.
    Susana Nogueira

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigada Susana, lembro-me dos dois.

    Aproveito para agradecer a todos os que, atraves de mensagens, e mesmo aqueles que nao ou mal me conhecem, me tem incentivado e manifestado o seu apoio, algo desde logo gratificante uma vez que pedir dinheiro desta forma é tao desconfortavel para mim e nao o faria se nao visse as crianças nesta situação e a Jyoti na iminencia de abandonar o país para ir trabalhar para o estrangeiro. O problema nem seria assegurar-lhes um mes na escola pois isso, felizmente, poderia eu fazer, mas garantir-lhes a frequencia de mais um ano escolar. Assim lembrei-me que, fazendo uma coleta, por minima que seja a contribuição de cada um, poderemos talvez alcançar este objetivo. Para quantias maiores, no caso por exemplo de alguem desejar apadrinhar uma criança, sugiro que o façam diretamente para a conta do orfanato.
    Abraços. Lya

    ResponderEliminar
  5. Lya
    Um beijo grande pelo bem que estas a fazer a estas crianças. Juntarei alguns euros na tua conta para ajudar, não será muito mas é com carinho e prometo que vou divulgar este orfanato pelos meus amigos. Até sempre.

    ResponderEliminar
  6. Oi, miga!
    Já dei uma pequena contribuição, através de transferência para a tua conta.
    Obrigada por seres quem és.

    ResponderEliminar
  7. Muito, muito obrigada pela vossa contribuição, amigos, e por me ajudarem a tornar possível dar asas a esta causa. Agradeço aos que conheço, aos que mal conheço e espero ter a oportunidade de conhecer melhor e aos que nem sequer conheço e mesmo assim ajudam como é o caso da Rita B.. Penso que no fundo todos nos conhecemos quando o que nos une é mais alto... Abração

    ResponderEliminar