quinta-feira, 30 de junho de 2011

Donativos: Orfanato

Confesso que desde que me vi envolvida em casos de polícia me afastei um tanto do orfanato e não tornei a fazer lá regularmente voluntariado como fiz o ano passado. Mas são inúmeras as vezes que os miúdos, e especialmente a Jyoti, me visitam no hotel e eu passo por lá de vez em quando para constatar como estão as coisas.
Constato por exemplo que o frigorífico se apresenta geralmente vazio e que os miúdos andam vez à vez doentes. É época baixa, altura de monção e não tem havido voluntários nem dinheiro suficiente para cobrir as despesas. Mas recentemente alguém doou uma cama nova para o quarto das meninas e uma cobertura de oleado para o chão. Assim já não têm que fazer os deveres em cima do cimento frio.
Eles continuam uns glutões e uns traquinas. Devoram num ápice os ‘miminhos’ que lhes levo tais como: pão doce, bolachas, mel, fruta. E não se cansam de exibir as suas acrobacias. A Jyoti por sua vez continua a entender-se muito bem com os animais da casa que a reconhecem à distância. Está previsto trocar os coelhinhos por pintos pois estes sempre darão ovos e servem para comer. Os coelhos não.
Desta vez optei por ir levantando no multibanco os donativos que foram chegando em vez de esperar por reunir e transferir uma certa quantia. ‘Muni-me’ dos meus omnipresentes e solícitos colaboradores e fui às compras no mercado de abastecimento local.
Começámos pelos legumes alguns dos quais desconheço se existe nome em português: lauka, gheeraula, parbal, karela, rabanetes brancos, cenouras, couve, feijão verde, tomate, pepino, abóbora, beringela, couve-flor, kiabos, gengibre, etc. e depois passámos às batatas, cebolas e alhos noutra secção. Fruta também: mangas, maçãs, bananas...
Fui para lá de mota e regressei de táxi. Apanhámos a Jyoti no caminho, sentamo-nos os três à frente e despejamos os mantimentos no caminho de acesso ao orfanato. Nem carro nem moto sobem aquela ladeira, a partir dali tudo é levado à mão.
E já vão mais vezes. De carro ou de moto, com sol ou com chuva, os meus incansáveis colaboradores estão sempre prontos a ajudar. E lá vamos depositar mais legumes, arroz, lentilhas, óleo, gás... E a curiosa miudagem inspeciona tudo ao pormenor.

Não tenho recibos de tudo pois muitas vezes fazemos as compras nos vendedores de rua ou ambulantes. Mas aqui mostro alguns relativos a despesas com a alimentação e educação.
Enquanto isto os donativos foram chegando. E a dada altura uma considerável quantia angariada entre os professores da Escola Profissional de Leiria. O total ultrapassou os 400 euros.
Imediatamente pensei em apadrinhar duas das meninas mais velhas, a Alisha e a Jasmine, e foi exatamente o que fiz. Este dinheiro deu para pagar as propinas escolares das duas na Shining Star Secondary Boarding School para todo este ano escolar e ainda para cobrir os custos dos livros e restante material.
Hoje mesmo voltei à escola para as apoiar em dia de exame e certificar-me de que já tinham os cartões de admissão exigidos nesta altura após pagamento das respetivas taxas. Para além do mais a Jyoti está de momento ausente do orfanato. Foi para a aldeia dos seus familiares trabalhar nos campos de arroz.
Deixo aqui o meu profundo agradecimento a todos os professores e amigos da referida escola que participaram nesta causa dando o seu contributo, sabendo eu que muitos fazem também malabarismos financeiros no dia a dia para suportar as obrigações e exigências para com o próprio agregado familiar, por vezes com vários descendentes. Foi um gesto bonito e grande de todos vós que se imprimiu com brilho na vida e no futuro destas duas meninas.

Fica também como um símbolo. Educação equânime para todos, um direito humano fundamental. Infelizmente no Nepal, sobretudo em zonas mais remotas, as meninas são ainda discriminadas e preteridas em termos de acesso à educação em relação aos seus irmãos.
Mas o meu agradecimento especial vai para a Teresa. Foi ela que investiu o seu tempo e toda a sua dedicação para angariar este dinheiro. Tanto mais que não nos conhecemos pessoalmente. Houvera mais e muitos gestos como o seu no mundo e este seria um lugar diferente, mais justo e mais compreensivo.E com mais Luz.

Tenciono reabastecer o orfanato, pelo menos enquanto estiver por aqui no Nepal. Faço as compras em vosso nome, em nome de todos aqueles que enviaram donativos. E por isso aqui deixo os agradecimentos gerais.


Mas há mais. A seguir.

Sem comentários:

Enviar um comentário