sexta-feira, 5 de março de 2010

MALASIA, Penang

Era o dia 1 de Março, o meu último dia de visto na Tailândia. Fui numa carrinha com locais de Krabi até Hat Yai, mais a sul, onde troquei de carrinha e se juntaram a mim a Kara e a Dani, inglesas.

Depois das formalidades na fronteira da Malásia, continuámos para Penang onde chegamos à tardinha. Eu fiquei e elas seguiam para Singapura onde apanhariam o avião para passar quatro meses na Austrália... "It's like home down there".

Atravessando a ponte para a ilha de Penang

Hospedei-me na Lebuh Chulia e, no dia seguinte, encontrei-me com o Sam, um advogado de etnia chinesa, que me foi buscar na sua mota e me convidou para almoçar num restaurante 'finesse' ao pé do porto.

Depois passeei pelas ruas de Georgetown e compreendi que tinha que comprar ali mesmo uma máquina fotográfica nova...

A ilha de Penang, situada na costa Noroeste da Malásia peninsular, é um dos principais centros turísticos do país. Para além das praias, Penang também é conhecida pela vibrante e misteriosa cidade de Georgetown, com 400 000 habitantes, situada na costa Nordeste da ilha.

A Malásia tem uma cultura diversificada e fascinante baseada na vibrante fusão entre culturas e costumes malaios, chineses e indianos. Nas ruas de Georgetown, apesar da forte influência chinesa, esta miscelanea de povos é bem visivel...


Será o De Silva português?
No centro da cidade fica o Forte Cornwallis, local onde desembarcou o primeiro habitante britânico da ilha, o capitao Francis Light, em 1786, época em que esta se encontrava praticamente desabitada.







Templos chineses...



hindus...

budistas...

mesquitas muçulmanas...

igrejas.

O museu de Penang dá-nos mais informação sobre esta mistura de povos e culturas.


Mansão Cheong Fatt Tze


Aqui conheci muita gente: o Marcin, um empresário de gravatas polaco, sediado na China, com quem passeei pelas ruas e visitei museus; o Ang, habitante local, contacto CS tal como o Sam, de etnia chinesa, dinamizador de um centro cultural, com quem partilhei conversas e refeições;...
... a Tanya, uma engenheira química russa de Vladivostok, hospedada no quarto ao lado, com quem passei muitos e agradáveis momentos, inclusivé na praia...


O desporto é para todos e a burka não é impedimento...

Foi com a Tanya que experimentei os confortáveis transportes públicos, com ar condicionado, e aproveitei para me refugiar do calor numa quinta de borboletas...









1 comentário: