domingo, 17 de janeiro de 2010

Ha Long Bay

Em Hanoi, eu e o Mike despedimo-nos do Michael do Quebec, atravessámos o Rio Vermelho na mini-van e seguimos para Halong City.

O grupo formou-se e seguimos todos para o barco onde iríamos passar a noite de sexta para sabado, durante um cruzeiro pela Halong Bay.






O tempo continuava encoberto e, portanto, a vista deste maravilhoso lugar nao foi das mais espectaculares.


O Mike reencontrou um antigo companheiro de viagem, o Marcos, da Argentina.

A Baía de Ha Long com cerca de 3.000 ilhotas de calcário que se elevam das águas, é a mais conhecida baía do Vietname. A maior parte das ilhas não está habitada nem afectada pela presença humana. A beleza cénica do sítio é complementada pelo seu interesse biológico. As ilhas têm um número infinito de praias, grutas e cavernas.


Parámos numa das ilhas para visitar uma gruta.






De acordo com a lenda, quando um grande dragão que vivia nas montanhas correu até ao mar, a sua cauda cavou vales que mais tarde foram enchidos com água, deixando apenas pedaços de terra à superficie, ou seja, as inúmeras ilhas que se avistam na baía.




A Baía de Ha Long foi declarada Património Mundial da UNESCO em 1993.






Ainda bem que levei as minhas cartas do Uno...



A noite a bordo teve ainda direito a Karaoke, breakdance e ceia na parte superior do barco.





No dia seguinte deu para fazer kayak.














No regresso fomos todos almoçar e regressámos a Hanoi.




Nessa noite eu tinha um encontro CS com o Chris num Cafe onde ele ia tocar, perto da guesthouse onde fiquei no Old Quarter de Hanoi.
Alguns dos seus amigos eram musicos, outros professores de Ingles, todos a viver em Hanoi.
No caminho para lá encontrei o casal australiano que conheci no barco em Ha Long Bay e foram comigo.

Houve danças e musica... e uma jovem assistência.

Sem comentários:

Enviar um comentário